vencedores - 2007

Publicado: segunda-feira, 1 de janeiro de 2007

PETROBRAS – H-BIO O PRODUTO QUE DIVERSIFICA A MATRIZ ENERGÉTICA COM ECONOMIA DE DIVISAS PARA O PAÍS




PETROBRAS

Case: H-BIO – O PRODUTO QUE DIVERSIFICA A MATRIZ ENERGÉTICA COM ECONOMIA DE DIVISAS PARA O PAÍS



PROBLEMA -
No cenário mundial, observam-se algumas tendências na evolução dos combustíveis, de acordo com as determinações dos órgãos ambientais. O cenário nacional não difere significativamente do contexto externo. Algumas das principais tendências são anecessidade de se produzir combustíveis com baixos teores de aromáticos, livres de enxofre e com baixíssimo nível de emissões. O caminho vem sendo a criação de novos produtos e nichos de mercado. A Petrobras vem, através de seu Centro de Pesquisas e Desenvolvimento (CENPES), mantendo-se na vanguarda desta tendência, investigando misturas de combustíveis alternativos e biocombustíveis na formulação dos combustíveis oriundos de petróleos nacionais. A Petrobras desenvolveu assim, um novo processo para a produção de óleo diesel, a partir do processamento de óleo vegetal em suas refinarias: o H-BIO.

DIAGNÓSTICO -
A tecnologia H-BIO da Petrobras introduz uma nova rota para a produção de biocombustíveis - complementar ao Programa Brasileiro de Biodiesel, em pleno desenvolvimento, para no futuro ampliar a utilização de biomassa na matriz energética do país, gerando benefícios ambientais e de inclusão social. Com esse novo processo, será possível reduzir a dependência em petróleo e a importação de derivados. É um “casamento” da indústria do petróleo com o agronegócio.

PLANO -
O H-BIO é resultado de pesquisas realizadas pelo CENPES ao longo dos últimos 18 meses. Trata-se de um processo de refino que utiliza óleo vegetal como insumo para a obtenção de óleo diesel, através da hidrogenação de uma mistura de óleo vegetal e óleo mineral. Testes industriais realizados no início de 2006 na Refinaria Gabriel Passos (Regap), confirmaram a viabilidade técnica e comercial do processo, cujo registro de patente foi concedido pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). A implantação das unidades de hidrotratamento de diesel permite aumentar a produção de diesel, incorporando correntes instáveis de outros processos de refino (LCO e gasóleo de coque), reduzindo o seu teor de enxofre e melhorando características importantes como o número de cetano.

EXECUÇÃO -
A implantação das unidades de hidrotratamento de diesel permite aumentar a produção de diesel, incorporando correntes instáveis de outros processos de refino (LCO e gasóleo de coque), reduzindo o seu teor de enxofre e melhorando características importantes como o número de cetano. O H-BIO disponibiliza uma fonte de matéria–prima renovável para produção de óleo diesel nas refinarias e, ao mesmo tempo, aumenta a produção de diesel, com o aumento da incorporação de diluente de óleo combustível (LCO) ao “pool” de óleo diesel, permitido pelo uso do óleo vegetal. É, também, um complemento à produção de diesel nas refinarias, com a vantagem de manter as mesmas características do combustível derivado de petróleo, porém com teor de enxofre muito mais baixo. Sua diferença com relação ao biodiesel é que este necessita de construção de unidades próprias, enquanto o H-BIO pode ser produzido nas refinarias já existentes. Ao mesmo tempo, o novo processo não compete com o de refino de petróleo para obtenção de óleo diesel, nem com o programa de biodiesel, uma vez que essas iniciativas são complementares e visam aumentar a oferta de óleo diesel no país, reduzindo as necessidades de importação do produto. Pela proximidade com as áreas produtoras de soja no Brasil, no curto prazo, três refinarias passaram a produzir o novo combustível. Em dezembro de 2006, Gabriel Passos (Regap), em Minas Gerais, e em 2007, Presidente Getúlio Vargas (Repar), no Paraná, e Alberto Pasqualini (Refap), no Rio Grande do Sul.

RESULTADOS -
A nova tecnologia H-BIO vem sendo veiculada via site da Petrobras, em eventos e simpósios pelo mundo inteiro, para os quais a Petrobras vem sendo constantemente convidada a participar, reafirmando sua posição como uma empresa de energia, com foco nos princípios éticos e de responsabilidade social e ambiental. Para 2008, está prevista a implantação do processo H-BIO em mais duas refinarias, o que deverá elevar o processamento de óleo vegetal para cerca de 425.000 m3 por ano. Em longo prazo (até 2011), pode-se estimar a implantação em até oito refinarias, com um consumo total de 1.033.000 m3//ano para um teor de 5% de óleo vegetal, consumo que representa cerca de 44% do volume de óleo de soja exportado em 2005.

vencedores 2007

todas >

galeria de fotosver todas >

  • Walter Longo
  • Armando Ferrenti e Walter Longo
  • Vigor Grego
  • Nova Vigor Mix
flickr
by