vencedores - 2008

Publicado: terça-feira, 1 de janeiro de 2008

Volkswagen caminhões e onibus – Caminhões Volkswagen. Sucesso além da medida





Empresa: Volkswagen caminhões e onibus

Case: Caminhões Volkswagen. Sucesso além da medida


O PROBLEMA: Duas etapas distintas, caracterizaram a trajetória da Volkswagen no mercado brasileiro de caminhões e ônibus. A primeira, teve início em 1981, quando a empresa lançou os dois caminhões com sua marca, os modelos de 11 e 13 toneladas. Na época, a empresa era a única unidade do Grupo Mundial Volkswagen a fabricar essa classe de veículos, o que acarretou uma imensa tarefa de planejamento industrial e mercadológico e de familiarização com um novo e desconhecido campo de atuação. Os obstáculos que precisaram ser superados eram ainda maiores considerando que o mercado brasileiro era fortemente dominado por concorrentes como Mercedes-Benz, Ford e GM, instalados no Brasil pelo menos meio século antes. Todos com grande tradição de marca e completa estrutura de produção, distribuição, vendas e assistência técnica. O inicio da segunda etapa na história da Volkswagen Caminhões e Ônibus coincide com a inauguração, em 1996, da sua nova fábrica localizada em Resende (RJ). Com investimento inicial de R$ 250 milhões e estrutura construída em apenas 153 dias, esse moderno complexo industrial inaugurou um sistema de produção até então único no mundo, batizado de Consórcio Modular. Esse revolucionário método produtivo permitiu à Volkswagen desenvolver um conceito inédito, que iria marcar e distinguir sua trajetória no mercado brasileiro: o dos “caminhões sob medida”.


O DIAGNÓSTICO: O revolucionário sistema produtivo do parque industrial de Resende, que se contrapunha aos antigos conceitos de verticalização até hoje adotados pela concorrência, permitiu a Volkswagen preparar a linha de montagem, a cadeia de fornecedores e toda a estrutura de vendas e assistência técnica da sua Rede de Concessionários para operar segundo um inédito conceito, o dos caminhões e ônibus sob medida. Na pratica, a Volkswagen tinha que criar condições para que os clientes escolhessem a configuração ideal dos veículos para cada tipo de negócios e de acordo com as peculiaridades de cada modalidade de transporte urbano ou rodoviário.


O PLANO: Frotistas e autônomos podiam, por exemplo, decidir qual a melhor solução não só entre 34 diferentes modelos de caminhões como também entre dezenas de combinações de características técnicas, incluindo opções de motorização e de relação e distâncias entre eixos. Na linha de ônibus, são 12 diferentes opções de chassis a partir de 5 toneladas, permitindo desde o encerramento de mini e micro-ônibus para frotistas que operam nas zonas urbanas até veículos para longas distâncias e para os setores de turismo e fretamento.


A EXECUÇÃO: No Projeto Consórcio Modular, a empresa trouxe para a fábrica os principais fornecedores para a montagem dos veículos, cabendo a Volkswagen a responsabilidade pelo desenvolvimento dos produtos, supervisão de todas as fases da produção e pelas baterias de testes do Controle de Qualidade. A linha de montagem foi a primeira a ser climatizada no Brasil, onde utilizavam esteiras mecânicas na montagem dos chassis, talhas e pontes rolantes, poupando esforço ao montador e aumentado a produtividade. O prédio da manufatura não possui fontes poluentes e no prédio da pintura, uma estação de tratamento de efluentes garante que a água utilizada na fábrica seja inteiramente potável ao ser escoada. Para ir ao encontro as expectativas dos frotistas e autônomos do setor do transporte de carga ou de passageiros, a Volkswagen, desde o inicio da sua operação no Brasil, dedicou grande parte do seu planejamento ao estabelecimento de altos padrões de atendimento aos clientes no pós-venda. A começar pela formação de uma rede de revendedores exclusiva para caminhões, hoje com 141 Concessionários estrategicamente distribuídos pelo país. Suas oficinas foram equipadas para prestar serviços eficientes e confiáveis, com uso da melhor tecnologia disponível, instrumental adequado aos veículos da marca e mecânicos treinados e periodicamente reciclados na própria fábrica. A Volkswagen também colaborou com aqueles frotistas que contam com oficinas próprias, oferecendo CD-ROM com literatura técnica para orientação sobre serviços, ferramental recomendado e utilização de Peças Originais. Ponto alto dessa filosofia de máxima atenção ao comprador é o ChameVolks, que tem como finalidade proporcionar suporte ao cliente ou usuário dos caminhões Volkswagen em qualquer lugar do país, especialmente quando o veículo apresenta alguma avaria que o impeça de chegar até um Concessionário da marca.Para reforçar ainda mais o conceito sob medida dos caminhões Volkswagen, a marca veiculou uma campanha institucional cujo objetivo principal era mostrar, por meio de belas imagens, que só uma empresa nascida no Brasil podia fazer caminhões sob medida como a Volkswagen.


OS RESULTADOS: Em 2000, a Volkswagen alcançou a vice-liderança do mercado nacional de caminhões. Em 2003, pela primeira vez, tornou-se líder do mercado com 32,6% de participação. No período de janeiro a setembro de 2008, a participação de mercado de 31,5% nas vendas de caminhões consolidou a liderança da marca pelo 6 ano consecutivo. Com o lançamento da Linha Volksbus em 1993, a Volkswagen tornou-se vice líder de mercado neste setor, mantendo até hoje esta posição. No ano de 2008 a participação da marca no setor foi de 30,3%. Atualmente, a fábrica da Volkswagen produz 245 veículos por dia, em três turnos de trabalho e emprega 4.728 funcionários numa área construída de 110 mil metros quadrados.
As exportações da marca cresceram nove vezes nos últimos seis anos, saltando de 1.405 unidades em 2002 para uma projeção de 10.000 unidades em 2008.

galeria de fotosver todas >

  • Walter Longo
  • Armando Ferrenti e Walter Longo
  • Vigor Grego
  • Nova Vigor Mix
flickr
by