vencedores - 2016

Publicado: quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Associação Viva e Deixe Viver – 18 Anos – Mais de 1 milhão de Histórias


Histórico/Antecedentes/Circunstâncias


A Associação Viva e Deixe Viver é uma OSCIP – Organização de Sociedade Civil de Interesse Público e tem como missão fomentar a Educação e a Cultura na Saúde através da leitura e do brincar, visando transformar a internação hospitalar de crianças e adolescentes em um momento mais alegre, agradável e terapêutico, contribuindo positivamente para o bem estar de seus familiares e equipe multidisciplinar.
A Associação  iniciou suas atividades em 17 de agosto 1997 no estado de São Paulo no Instituto de Infectologia Emilio Ribas, a partir de 2001 inicia a sua caminhada rumo a formação de Rede na cidade de Salvador – Bahia e logo em seguida no Rio de Janeiro, e desde então os voluntários “Contadores de Histórias” e os voluntários que apoiam com talento profissional na gestão da associação, conforme balanço social 2015 apresentam indicadores de transformação social na formação de leitores e na humanização da ambiência da saúde e educação.
A formação e ensino continuado do corpo de voluntário fomenta a pratica da cidadania participativa, a partir da responsabilidade pessoal e educação da vontade de ser um agente da saúde, brincar, leitura, artes na colaboração para a ciência e pesquisa da força do trabalho voluntário em nosso Brasil. Nesta trajetória de humanizar a saúde e educação em 18 anos colecionamos boas histórias, praticas, vivência e pioneirismo na gestão da hora qualificada de voluntários, na promoção das politicas publicas de humanização da saúde, brinquedotecas e classe (educação hospitalar) em respeito ao publico primário atendido pelos contadores de histórias.


Problema/Desafio/Oportunidade


Questões a serem resolvidas: Sustentabilidade da Marca e Serviços; posicionamento do Centro de Comunicação e Histórias do Viva; valorizar o trabalho qualificado do voluntário no âmbito da saúde; valorar e mensurar resultados de tempo doado pelo voluntário; fortalecer a Rede Viva de contadores de histórias no Brasil; promover políticas publicas relativas a humanização da saúde, classe e brinquedoteca hospitalar.
Metas a serem alcançadas: Fortalecer a visibilidade da Associação junto a investidores pessoas físicas e jurídica; convenção anual para alinhamento entre as afiliadas e vinculadas participantes da Rede Viva e Deixe Viver para o triênio 2016/2019; desenvolvimento do plano de negócios e cultura para a formação e capacitação de contadores de histórias voluntários; mensuração dos resultados qualitativos e quantitativos a partir do diário eletrônico do voluntário Contador de Histórias e dos voluntários atuantes na gestão; perfil do voluntário Viva e revitalização da Marca Viva.


Público a ser atingido


Voluntários, crianças e adolescentes pacientes, famílias e responsáveis, profissionais e estudantes da saúde e educação.


Plano


Ao mensurar através de pesquisas o efeito da contação de histórias e do brincar, notamos que as narrativas estão presentes na vida das crianças e dos adolescentes o tempo todo, e que muitas histórias tem o poder de ativar o lado mais saudável de todos os sujeitos que estão ao entorno do paciente, e que este tem que continuar aprendendo, brincando e através das histórias ser o protagonista de seu processo de cura.
Existem vários mecanismos de aprendizagem. Os voluntários são capacitados e possuem um diário onde relatam as atividades do dia. Estes diários são tabulados, analisados quantitativos e qualitativamente produzindo indicadores importantes para melhorias no Viva e seus parceiros.
Para sustentar esta conexão existe o cabeças de chave (coordenadores do grupo de contadores de cada hospital) que encontram-se periodicamente na sede do Viva com a diretoria para debater e evoluir com as experiências sobre as vivencias na rede de hospitais e instituições de ensino que a Viva atua.
A equipe de colaboradores na sede (funcionários e voluntários fazedores) realiza reuniões semanais para compartilhar e alinhar atividades. Em paralelo temos o apoio das redes sociais onde todos se encontram, trocam dicas e novidades.
Anualmente é realizada na sede em São Paulo uma Convenção (eletrônica e presencial), onde representantes das afiliadas e vinculadas espalhadas por todo Brasil (forma de contrato de licenciamento e franquia social) se reúnem para discutir metas, realizações, propor melhorias, avaliar resultados e compartilhar experiências. Um dos ferramentais que usamos para elaborar nossos projetos é o Project, plataforma que permite organizar a ordem das atividades realizadas, seus custos, os procedimentos a serem tomados futuramente, as pessoas envolvidas e o tempo necessário para a realização de cada atividade. Com base nessa organização cada membro da diretoria dá sua opinião e assim tomamos direções mais assertivas para o melhoramento e ampliação das atividades do Viva.


Execução/Ativação


Assessoria de Imprensa Especializada; veiculação de materiais em revistas, jornais, rádios e sites; e-mail marketing de divulgação; banners; distribuição de peças de comunicação (cartazes, flyers e folders); eventos; exposições; notícias no site; mídias sociais.


Resultados


Ao longo dos 18 anos e dos nossos processos educacionais, o que era uma simples contação de histórias no início de 1997, transformou-se numa OSCIP e organização de pesquisas e produção de conhecimento (http://www.vivaedeixeviver.org.br/Pesquisas). Impactamos 1.775.685 pessoas: 920.603 crianças e adolescentes; 694.974 familiares e 160.108 profissionais da Saúde.
Em 2015 resultados foram 88.417 crianças e adolescentes atendidos, impactando também 66.198 familiares e 17.301 profissionais da Saúde, nas visitas em 90 hospitais e casas de apoio nas regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste.
E através do CCH – Centro de Comunicação e Histórias, foi possível desenvolvermos, em 8 anos de existências, 193 oficinas e cursos para o publico aberto, oficineiros e consultorias para empresas e instituições. A busca da excelência na capacitação de seus voluntários contadores de histórias e a luta pela humanização da saúde sempre esteve no foco da Associação Viva e Deixe Viver. Os resultados obtidos em 2015 comprovam o sucesso desta trajetória. Nosso processo educacional passou a ser exemplo para diversas instituições, hoje damos consultoria em gestão de voluntariado para diversas empresas.
Desde 2001, Ano Internacional do Voluntário, a Associação vem apoiando as politicas públicas de utilização de brinquedotecas, promovendo os profissionais que atuam em hospitasi e a Humanização da Saúde.



flickr

galeria de fotos ver todas >

  • Foto 1
  • Foto 2
  • Foto 3
  • Foto 4
by